31
Mar 10

 

Loucuras?...

 

 

Em conclusão: cumprir até ao fim do dia de hoje o que (me) prometi; loucura 1 - ir até Constância (provavelmente no sábado), mudar de ares;

loucura 2 - não a cometer; loucura 3 - pensar melhor nela (ou não a cometer mesmo).

publicado por flordocardo às 13:15

30
Mar 10

publicado por flordocardo às 17:38

 

Hoje já tive para cometer uma, duas, três loucuras.

 

  Cometo, não cometo...

Pelo meio, há uma coisa que eu quero fazer - que prometi fazer - e não consigo.

 

 

Estará a coisa a ficar fora de controlo?

Loucuras fazem bem? Cometo-as ou não?

 

Não me dizem nada aí desse lado?...

 

 

Não me dizem nada daí?

 

publicado por flordocardo às 17:34

publicado por flordocardo às 01:45
tags:

*  *

 

Construção da Noite 

 

No casulo há um homem
Mas o fundo é outro lado;
No casulo de seu tempo
Há um homem
Mas o fundo é outro lado.
É o casulo
Onde o homem foi achado
Mas o fundo é outro lado.
É o terreno
Onde o homem foi lavrado
Mas o fundo é outro lado.
É a treva
Onde o homem foi fechado
Mas o fundo é outro lado.
É o silêncio
De um homem soterrado
Mas o fundo é outro lado
Mas o fundo é outro lado.
É a infância que nasce sobre o morto
É a infância que cresce sobre o morto,
É o sol que madruga no seu rosto,
É um homem que salta do sol-posto
E convoca outros homens para o sonho.
E mistura-se à terra
E mistura-se ao sonho
E o canto recomeça além do sonho,
Além da escuridão, além do lago.
Mas o fundo é o outro lado.

 

Mas o fundo principia
Sem passado,
Sem os montes, sem os barcos,
Sem o lago.

 

Tua vida verdadeira é o outro lado,
Tua terra verdadeira é o outro lado,
Tua herança verdadeira é o outro lado.

 

Tudo cessa
Tudo cessa
Tudo cessa

Mas o mundo
É o outro lado
Que começa.

 

                       Carlos Nejar (Brasil, n. 1939)   

 

publicado por flordocardo às 01:13
tags:

29
Mar 10

publicado por flordocardo às 18:01

publicado por flordocardo às 17:49

 

(I Keep a) Close Watch

 

Never win and never lose

There’s nothing much to choose

Between the right and wrong

Nothing lost and nothing gained

Still things aren’t quite the same

Between you and me

 

I keep a close watch on this heart of mine

I keep a close watch on this heart of mine

 

I still hear your voice at night

When I turn out the light

And try to settle down

But there’s nothing much I can do

Because I can’t live without you

Any way at all

 

I keep a close watch on this heart of mine

I keep a close watch on this heart of mine

 

 

publicado por flordocardo às 14:16
tags:

 

 

\ 

 

Pedem-me os olhos e as mãos que esqueça

Na verdade todo o corpo implora isso

e tudo em volta que foi nosso por instantes

e o silêncio das palavras que procuro

Mas são aqueles e aquelas exactamente

quem não consegue lograr o esquecimento

E é por isso que eu tremo por inteiro

é por isso que eu suo uma sede seca

que breves lágrimas perfumam várias vezes

Assim me queima uma chama lenta

assim não encontram lugar as minhas mãos

assim vagueiam meus olhos por desvãos

onde acabas sempre por irromper

com um sorriso lento que é só teu

 

Como posso então esquecer?

Nem há música que deslembre essa presença

- pela ausência tão mais real ainda

Hei-de partir um espelho ou dois

Ou romper a língua

Ou cortar um dedo

Ou pedir a alguém uma faca

bem fria espetada nas costas

Talvez assim eu esqueça… ou peça

que o esquecimento fique só no sentimento

- pequena caixa guardada para sempre

em parte incerta cá por dentro

 

E talvez um dia encontre a chave dela

E dela solte a ave que ofereceste

E tu - matéria de esquecer - regresses nela…

Ou possas esquecer-te com ela para sempre

destes olhos e mãos que só conseguem ter-te

 

(Cruz-Quebrada, 04-28.03.2010)

 

publicado por flordocardo às 00:15

28
Mar 10

publicado por flordocardo às 02:27
tags:

Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9


22



subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO