28
Fev 11

 

*   *

 

A taxa de remuneração da dívida soberana atingiu o máximo histórico de 7,72

por cento  na passada sexta-feira, dia 25…

 

«Temos que reafirmar de forma clara o compromisso de que tudo faremos para cumprir os objectivos orçamentais e que dispomos de medidas adicionais, se necessárias, para garantir esse cumprimento» - assegurou hoje o ministro Teixeira dos Santos, no âmbito de uma conferência dedicada ao tema da dívida e promovida pela Reuters/TSF. Uma das grandes lições da actual crise, continuou o ministro das Finanças, é a de que «não há prosperidade sustentável assente no endividamento».

 

Portanto, admitem-se como ainda possíveis novas medidas de austeridade... Até porque o governo vai continuar a vender dívida a taxas de juro incomportáveis, mesmo que isso signifique uma “prosperidade insustentável”, não é?...

 

Assim se comprova como o governo Sócrates tem uma “solução” para sairmos da crise…

 

[Solução[4].jpg]

 

(PS - Entretanto, é preciso não esquecer, daqui a dois dias Sócrates avista-se com a patroa Merkel...) 

 

publicado por flordocardo às 15:12

 

*   *   *

 

«Nada do que é humano me é estranho.»

 

                                                          Terêncio

publicado por flordocardo às 02:46
tags:

 

 

 

publicado por flordocardo às 02:05
tags:

26
Fev 11

 

*   *   *

 

A poesia não é um dialecto

A poesia não é um dialecto
para bocas irreais.
Nem o suor concreto
das palavras banais.
É talvez o sussurro daquele insecto
de que ninguém sabe os sinais.
Silêncio insurrecto.

 

                             José Gomes Ferreira (1900-1985)

 

publicado por flordocardo às 19:54

 

(Porque há que tempos que não ouvia esta senhora...)

 

publicado por flordocardo às 19:39
tags:

25
Fev 11

 

*   *

 

Acabo de vir de uma consulta médica. Isto vai ser (ainda mais) duro... Estou de baixa médica e os tratamentos devem começar dia 2 de Março.

 

Talvez por isso seja oportuno (talvez) o poema que fiz esta madrugada e que aqui vos deixo.

 

Fiquem bem!

 

*

 

POR ESTES DIAS

 

Há por estes dias

em meu sangue um inerte silêncio

 

O sorriso do meu filho

quebra-o às golfadas

 

(Cruz-Quebrada, 25.02.2011)

   

publicado por flordocardo às 13:04

 

 

Já havia falado deste assunto no passado dia 18, mas resolvi voltar a ele com este vídeo, bem elucidativo do que se está a passar.

Passem a palavra!

 

 

publicado por flordocardo às 12:34

publicado por flordocardo às 00:05
tags:

23
Fev 11

 

*   *   * 

Biografia

 

Não pegues na colher com a mão esquerda.
Não ponhas os cotovelos na mesa.
Dobra bem o guardanapo.
Isso, para começar.

Extraia a raíz quadrada de três mil trezentos e treze.
Onde fica o Tanganica? Em que ano nasceu Cervantes?
Dou-lhe um zero em comportamento se falar com o seu colega.
Isso, para continuar.

Parece-lhe decente que um engenheiro faça verso?
A cultura é um enfeite e o negócio é o negócio.
Se continuas com essa moça fechamos-te a porta.
Isso, para viver.

Não sejas tão louco. Sê educado. Sê correcto.

Não bebas. Não fumes. Não tussas. Não respires.
Aí, sim, não respirar! Dar o não a todos os nãos.
E descansar: morrer.

                                        Gabriel Celaya (1911-1991)


(tradução de José Bento)
 
publicado por flordocardo às 10:44
tags:

publicado por flordocardo às 00:49
tags:

Fevereiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15

22
24

27


subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO