03
Mai 10

 

Até hoje ainda não vos tinha dado a ler Camões.

Imperdoável? Certamente. Mas espero ser perdoado a partir de agora.

 

*

click to zoom  

(Tanto de meu estado me acho incerto)

 

Tanto de meu estado me acho incerto,

Que em vivo ardor tremendo estou de frio;

Sem causa, juntamente choro e rio;

O mundo todo abarco e nada aperto.

 

É tudo quanto sinto, um desconcerto;

Da alma um fogo me sai, da vista um rio;

Agora espero, agora desconfio,

Agora desvario, agora acerto.

 

Estando em terra, chego ao céu voando;

Numa hora acho mil anos, e é de jeito

Que em mil anos não posso achar uma hora.

 

Se me pergunta alguém porque assim ando,

Respondo que não sei; porém suspeito

Que só porque vos vi, minha Senhora.

 

                                                Luís de Camões

 

publicado por flordocardo às 02:11
tags:

...e bem escolhido...
porto santo a 3 de Maio de 2010 às 16:08

Mais hão-de vir!

Efectivamente estás perdoado... com um soneto destes impossível não perdoar.
Que estejas bem! Bjinhos
ónix a 3 de Maio de 2010 às 23:23

Já que estou perdoado, mais poemas de Camões aportarão aqui, prometo.
Bjões para ti! * * *

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO