13
Mai 10

 

Imaginem duas linhas paralelas e em movimento, que se cruzam mas nunca se encontram. Talvez vejam aí um país chamado Portugal.

 

Uma das linhas desse país termina já na sexta-feira. É a linha da visita do Papa Bento XVI a esse país irreal, onde nada de mal se passa (não há crise, nem desemprego, nem augústia, nem fome, nem nada).

 

A outra linha é exactamente a que corresponde a um país real, repleto de desigualdade,  onde tudo parece correr mal é parece ter como responsáveis aqueles que trabalham. Porém, esta é a exactamente a linha que vai continuar a preencher o nosso quotidiano após a partida do Papa, após esta espécie de grande cerimónia medieval ocorrida nestes últimos dias (cerimónia da qual não tenho memória, em Portugal, para nenhum outro Chefe de Estado deste planeta).

 

As linhas cruzam-se mas de facto não se encontram. Acenam quanto muito uma à outra. Felizmente, uma anda para trás e outra para a frente. São linhas de gente insensível? Não, não irei tão longe. Apenas sei que uma tem futuro e a outra não. E sei igualmente que a verdade nasceu nua e eu quero que nua se mantenha. Sem paramentos.

 

E sei ainda que as coisas se precipitam dia a dia. Aguardemos as decisões do conselho de ministros de hoje... Isto vai mesmo aquecer!

 

publicado por flordocardo às 14:14

Estamos à espera de quê...http://lutapopularonline.blogspot.com/2010/05/o-governo-anuncia-mais-fome-mais.html

porto santo a 13 de Maio de 2010 às 18:03

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO