23
Mai 10

 

 

(Habituei-me a reconhecer os dias quentes)

 

Habituei-me a reconhecer os dias quentes
       pela sonolência dos cães.

Há rios de médio porte
       nas zonas baixas das encostas.
Há igrejas de terras pequenas
       com primos no adro.

Neste domingo ponho a hipótese
       de ir ao rio mais próximo.
Neste domingo ponho a hipótese
       de não ir à igreja mais longe.

Considero que já disse
o pouco que queria dizer;

rios que não refrescam,
missas que aumentam o calor.

                                    Daniel Maia-Pinto Rodrigues (n. 1960)

(do livro «A Casa da Meia Distância» - editora Mariposa Azual, Lisboa, Janeiro/2010)

 

publicado por flordocardo às 13:48
tags:

Muito bom...concordo com o poeta, é melhor o Rio...de longe...o horizonte é do melhor que existe...
Porto Santo a 23 de Maio de 2010 às 18:41

E os teus poemas?
Abraço!
Melt a 23 de Maio de 2010 às 21:31

Os meus poemas? Estão presos; algemados e tudo...
Continua a passar, ok?
flordocardo a 24 de Maio de 2010 às 00:44

Bonito... gosto.
Bjinhos
ónix a 23 de Maio de 2010 às 23:19

Devo dizer-te que não gosto particularmente deste poema. Mas ele tem algo de estranho na sua aparente trivialidade. Uma estranheza que me seduz de alguma maneira (o que talvez tenha a ver com o meu actual estado de espírito).
Mas ainda bem que gostaste.
Bjões! * * *
flordocardo a 24 de Maio de 2010 às 00:48

Maio 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO