29
Nov 09

 

Os fins-de-semana, decididamente, não me andam a correr bem (como já devem ter percebido)...

 

Haverá culpados? Talvez, não sei... O que sei é que (a modos que para colmatar a coisa) ouvi durante a última tarde uma colectânea de canções do Chico Buarque. Deu para aliviar, mas não muito...

 

Neste instante escuto o Carlos Barreto em quinteto; o CD que tem por título «Impressões» e é datado de 1994. Um bom disco de jazz. Aliviei? Alguma coisa, mas não muito...

 

Ainda ao som de Carlos Barreto, eis que pego então em Pedro Tamen. Livro? «Memória Indescritível», de 2000.

 

Fixo-me num poema. Este...

*  *

 

AZIMUTO A MINHA BARCA

 

Azimuto a minha barca

e o porto é onde já estou.

Esta chuva que me encharca

é a que nunca pingou.

 

Olho pra trás desasado

das asas que nunca tive.

Não há mudança de estado

na descida do declive.

 

Pedro que sou, reduzo

o sapato em que me meto

a moído parafuso

e a desgosto secreto.

 

Desalimento a certeza,

aperto a chave ao sorriso,

lavo a loiça, ponho a mesa,

falo faceto, agonizo.

*  * 

 

Fiquei melhor? Um pouco. Mas mesmo assim antevejo um resto de domingo convulso.

 

E aí desse lado? Que me podeis dizer, ó gentes?...

 

publicado por flordocardo às 01:38

Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

15
16
17
19
21

23
26



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO