02
Set 10

 

*   *   *

 

Admirável aquele
cuja vida é um contínuo
relâmpago
                                                     Matsuo Bashô (Japão, 1644-1694)

(do livro «O gosto solitário do orvalho», antologia poética de Matsuo Bashô, com versões  de Jorge de Sousa Braga - Assírio e Alvim, Fevereiro/1986)

 

publicado por flordocardo às 10:10
tags:

Oh! Querida e amada tempestade, beleza da fúria dos céus, quanta vida nos dás.........................

Toma lá surpresa ;)
Ana a 3 de Setembro de 2010 às 10:00

Bela e devastadora surpresa, ó regressada criatura!
:)

:P

:D

até loguinho inho
beijinho beijinho ^^

p.s. o dia acabou bem, ontem? :)
trimurti@sapo.pt a 3 de Setembro de 2010 às 11:38

Até loginho?...
Bem, digamos que acabou um pouco melhor do que começou.
E o poema?...

hum...?
Ana a 3 de Setembro de 2010 às 16:34

Gosto!!!
TF a 3 de Setembro de 2010 às 12:42

Folgo em saber!
Quando não gostares também podes dizer, ok?
Abraço! *
flordocardo a 3 de Setembro de 2010 às 15:43

Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO