27
Out 10

 

*

 

Saída. Fim de tarde. Já ontem foi assim: declina o sol com uma luz tremenda, ilumina a ouro o ouro das árvores.

Quanto ao mais… Tenho tanta coisa para fazer e não sei que fazer da minha vida.

Apesar disto, algo de curioso, estranho e ao mesmo tempo fascinante tem sucedido nos últimos dias. Foram três encontros casuais e sucessivos com antigos companheiros de escola. Um, na Rua do arsenal; outro, na Rua do Ouro; o último, num restaurante em Algés, na passada segunda-feira. Todos me reconhecem (eu não), todos sabem o meu nome (eu não sei o deles), todos se lembram de mim por uma qualquer razão particular: os poemas que eu escrevia, os livros que eu lia e lhes dava a ler, uma festa de anos, coisas assim e outras que nem sei  - e, provavelmente, nunca chegarei a saber.

Há nisto algo que me espanta, me perturba e encanta ao mesmo tempo (não acham compreensível?). E até já dei por mim a pensar que, por qualquer motivo se estão a despedir de mim (o que é um pouco tétrico, convenhamos), e/ou me agradecem algo que eu nunca tive a consciência de lhes dar, mas que efectivamente lhes terei dado.

Seja como for, o que vou eu fazer da minha vida? Como vou carregá-la para diante? Em boa verdade, talvez isso interesse muito pouco, agora que declina o sol com uma luz tremenda.

 

(Nota - «declina o sol com uma luz tremenda» era suposto, inicialmente, ser o primeiro verso de um poema a escrever; mas deu nisto.)

 

Lisboa, 26.10.2010 (18.40h)

 

 

publicado por flordocardo às 17:58
tags:

Deu nisto e eu gostei. Melhoras!
ramsés a 27 de Outubro de 2010 às 20:04

Vê lá se levantas essa moral, porque o tempo não está para declinações, mesmo declinando a luz do sol...
Porto Santo a 27 de Outubro de 2010 às 20:12

Lá nisso tens inteira razão.
Abraço!
flordocardo a 27 de Outubro de 2010 às 21:18

Que negativismo é este? Nem parecem coisas tuas... eu sei que sem saúde tudo muda mas com certeza não é nada preocupante o que tens...Que estejas melhor hoje.
Beijinhos
ónix a 27 de Outubro de 2010 às 21:22

Nem parecem coisas minhas, tens razão. Mas...
Olha, neste momento estou mesmo um pouco melhor.
Obrigado e bjões para ti, sempre! * * *
flordocardo a 27 de Outubro de 2010 às 22:53

Bem... e parece que deu bem, embora não se lembre desses conhecidos eles lembram de si, lá haverá as suas razões... mas despedirem-se ? Nem pensar! O sol ainda vai alto para si !
Um abraço
Rosinda a 27 de Outubro de 2010 às 21:38

Obrigado pelo apoio, cara Rosinda. Grande abraço!
flordocardo a 27 de Outubro de 2010 às 22:51

E que tal experimentar o poema?
incógnito a 28 de Outubro de 2010 às 23:59

É uma possibilidade ainda no ar.
flordocardo a 29 de Outubro de 2010 às 11:34

gosto do texto. e gosto quando o texto vai para onde quer e o escritor vai atrás... é mais comum do que se pode pensar à partida.
eu pertenço à equipa d'o mar parece azeite e ficamos contentes com a visita. ficam mais sugestões para 'passear': http://doamormau.blogspot.com/; http://blankbluebook.blogspot.com/; http://sylviabeirute.blogspot.com/.
um abraço e parabéns pelo blog.
raquel
raquel patriarca a 29 de Outubro de 2010 às 19:05

Bem vinda e obrigado. Irei "viajar" por esses lados mal possa, ok?
Abraço! *
flordocardo a 29 de Outubro de 2010 às 22:14

Embora um pouco triste, percebo e gosto do texto.
Bom fds e força!
anónima a 29 de Outubro de 2010 às 19:13

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO