02
Dez 10

 

        *   *

 

- A profissão de escritor -

 

            «O escritor tem, naturalmente, de ganhar a vida para existir e escrever, mas não deve existir e escrever para ganhar a vida…

          O escritor nunca encara as suas obras como um meio. São fins em si; são tão pouco um meio para ele e os outros que, em caso de necessidade, sacrifica a sua existência à deles, e, à semelhança do pregador de religião, toma para seu princípio: “Obedece a Deus mais que aos homens”, homens nos quais se acha incluído juntamente com as suas necessidades e desejos humanos. Por outro lado, imagine-se um alfaiate, ao qual encomendo uma sobrecasaca parisiense e me apresenta uma toga romana porque está mais em conformidade com a lei exterior do belo! A primeira liberdade de imprensa consiste em não constituir um negócio. O escritor que a avilta num meio material merece, como castigo da ausência de liberdade interior, uma ausência de liberdade exterior, nomeadamente a censura, ou então a sua existência constitui já a punição.»

 

Karl Marx («Debaten ueber Pressfreiheit»)

 

 

Chema Madoz (Madrid - 1958) - da série "Surrealidad en blanco y negro"
publicado por flordocardo às 12:10
tags: ,

Excelente...
Porto Santo a 2 de Dezembro de 2010 às 19:05

Se calhar há para aí muito escritor que devia pensar nisto...
ramsés a 3 de Dezembro de 2010 às 15:52

Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO