31
Dez 10

 

*   *

 

Muito provavelmente o meu último poema deste ano e que só há poucos instantes acabei de concluir (ainda que...)

______________

 

A PORTA

 

De abrires a vida como quem abre uma porta

que posso dizer?

 

A minha vida passou toda por ti

como um relâmpago

 

Acontece sempre que penso em ti

 

E a porta abre-se

 

 

(Lisboa, 17-30.12.2010)

 

publicado por flordocardo às 00:23

Belo, belo...gostei.
Abraço
ónix a 4 de Janeiro de 2011 às 23:59

Obrigado por gostares, cara ónix.
flordocardo a 5 de Janeiro de 2011 às 01:03

Dezembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO