11
Out 11

 

*   *

 

Carta a Anto

                                                Dia Mundial da Poesia – 2005

 

Anto! Ando ver o meu país de banqueiros,

o meu país de pederastas e de políticos.

Ai o mar que é nosso!...

Um lindo mar, eu sei.

De empresários, desportistas radicais,

de jovens executivos e doutores.

(Não, já não é dos pescadores!)

É um mar de vender em pacotes aos turistas.

Ai o mar que é nosso!...

Um brando mar de agentes imobiliários

crescidos entre cifrões, a noite, pó branco e patos-bravos…

Anto! Anda ver o meu país de banqueiros,

de bancários, de vendedores, vendidos e gerentes.

Anto! Anda ver o meu pobre país dos detergentes.

 

                                                                    Carlos Carranca

 

(do livro «Fátria» - Mar da Palavra - Edições, Ldª., 2008)

                                     

 

publicado por flordocardo às 20:18
tags:

Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12

17
18
19
20
22

23
25
26
27
28

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO