21
Out 11

 

*  *

 

Ontem, pelas 15 horas, visita surpresa: a de Joaquim Murale - que de uma só assentada me presenteou com 4 livros dele (teatro, poesia e romance). Foi uma boa surpresa, até por já não nos vermos há largo tempo.

 

Obrigado (e não resisto a "roubar-te" o poema que se segue)!

 

Até breve!

 

*

 

 

3 poemas políticos

 

fora a batalha vencida

e os guerreiros tiveram o seu repouso

mas

pé ante pé

os ventos juntaram nuvens

repentinamente as tendas foram varridas por temporais de holocausto

os heróis apunhalados

e o sol se pôs de novo em mãos dos usurpadores

 

  ó bravos

  juntai os sobreviventes

  formai de novo os exércitos

  enfrentai nova peleja

  para que a luz do sol aqueça o infinito

  e as multidões se embebedem de alegrias

  é necessário que o sangue corra sem cessar

 

    não te submetas

 

    e se os traidores chegarem com disfarces

              para atacarem o fogo da tua revolta

    repele-os para tão longe que possas

    no espaço livre que fica

    assumir-te no risco da identidade completa

 

    a cobardia é sempre uma morte infame

 

 

                                                              Joaquim Murale (n. 1953)

 

(extraído da colectânea de poesia «Poetânea 4» - coordenação de Julião Bernardes - Lisboa, Fevereiro/2006)

 

publicado por flordocardo às 21:35

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12

17
18
19
20
22

23
25
26
27
28

31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO