30
Mar 12

 

*    *

 

Hoje as alterações às leis laborais vão a votos no Parlamento. Como é evidente, tais alterações visam prosseguir a via capitalista de continuar a fazer com que os trabalhadores paguem a crise - uma crise que não é deles e que eles não provocaram.

As posições dos partidos parlamentares estão já definidas para esta votação na generalidade. Mas atenhamo-nos, por agora, à posição do PS. A decisão "socialista" sobre tão sinistras medidas é a da abstenção, anunciando para mais tarde propostas de alteração na discussão na especialidade. A coisa, como se sabe, não está a ser pacífica...

Mas seria de esperar outra atitude por parte de Seguro? Não seria.

Seguro é mais um daqueles personagens caricatos que sempre procuram, de forma desesperada, sentar o traseiro em duas cadeiras ao mesmo tempo; e os quais, por vezes, tentam mesmo saltar por cima das suas próprias cabeças. Os resultados desta atitude estão à vista: o PS está cada vez mais isolado junto dos trabalhadores (ainda bem!) e já nem consegue pôr ordem na sua própria casa, pois nessa cada um puxa para seu lado (ainda bem também!).

Conclusão: o oportunismo não compensa!

Quanto ao mais, se pensam que o Código de Trabalho em preparação vai ser bem digerido pelos trabalhadores, pois... tirem o cavalinho da chuva!

Podem vir o Passos, o Portas, o Gaspar, o Relvas, o Álvaro, o Seguro e o inefável Proença, da UGT; podem vir a troika e a polícia; podem..., pois podem. Mas nós diremos basta! Não, não pagamos!

 

 

publicado por flordocardo às 02:35

Não tarda muito cai ao chão...
Abraço!
Melt a 30 de Março de 2012 às 15:27

Vergonhoso!
anónimo a 30 de Março de 2012 às 18:02

A vergonha não paga impostos, meu caro.
Abraço!
flordocardo a 30 de Março de 2012 às 20:36

Não Pagamos mesmo!!!
porto santo a 31 de Março de 2012 às 00:38

Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9



29


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO