13
Jan 10

 

 

Ofereço-vos agora dois poemas de Daniel Faria (Portugal, 1971-1999).
 
Banda sonora de fundo? Astor Piazzola e o seu Quinteto de Tango, em concerto na cidade de Lugano.
 
Fiquem bem.
 
*   *   *
 
(As mulheres aspiram a casa para dentro dos pulmões)
 
As mulheres aspiram a casa para dentro dos pulmões
E muitas transformam-se em árvores cheias de ninhos – digo,
As mulheres – ainda que as casas apresentem os telhados inclinados
Ao peso dos pássaros que se abrigam.
 
É à janela dos filhos que as mulheres respiram
Sentadas nos degraus olhando para eles e muitas
Transformam-se em escadas
 
Muitas mulheres transformam-se em paisagens
Em árvores cheias de crianças trepando que se penduram
Nos ramos – no pescoço das mães – ainda que as árvores irradiem
Cheias de rebentos
 
As mulheres aspiram para dentro
E geram continuamente. Transformam-se em pomares.
Elas arrumam a casa
Elas põem a mesa
Ao redor do coração.
 
Laranjas.JPG 
 
* * *
 
ELOGIO DA MULHER (Pr 31, 14)
 
O coração da mulher é alto
Mas nem só por isso a mulher oscila
Ela é como o navio mercante
Que chega carregado de grão
 
A mulher é o tear dentro da vida
Nem só por isso a mulher é mais que a vida
Ela é como o navio mercante
Que chega carregado de grão
 
 
(poemas extraídos do livro «Homens Que São Como Lugares Mal Situados», Fundação Manuel Leão - Porto, 1998)

 

 

publicado por flordocardo às 01:16
tags:

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9






Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO