06
Mai 13

 

 

*   *   *

 

INVENTÁRIO

Que fiz de meu dia?
Tanta correria.

E que fiz da noite?
O lanho do açoite.

Da manhã, que fiz?
Uma cicatriz.

Bolas, desta vida
que lembrança lida,

cantada, sonhada,
ficará do nada

que fui eu, cordato?
Mancha no retrato.

                  Carlos Drummond de Andrade (Brasil, 1902-1987)

 

(do livro «Viola de Bolso» (1952)  - in «Obra Poética, 8º Volume» - Publicações Europa-América, 1989)
publicado por flordocardo às 03:36
tags:

Há coisas fixes por aqui; como esta.
Irei passando!
Gi a 6 de Maio de 2013 às 17:31

Maio 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


19

26
28


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO