18
Jun 13

 

 

*   *   *

 

(por vezes apetece torcer um verso antigo)

 

 

por vezes apetece torcer um verso antigo

desmembrá-lo

fazê-lo sucumbir por outra forma de luz

ou treva

como outra casa por erguer

usando a taipa como um grito

pois o silêncio asfixia e mata

 

às vezes apetece violar-lhe a usura já esquecida

estabelecer-lhe um novo fim

eivá-lo por exemplo de mulheres antigas

ancestrais

à falta de algo que não meta nojo

e como se o vento bastasse para renovar seu rosto

 

(Parede, 12-18.06.2013)


publicado por flordocardo às 05:30

Surpreendente e belo. Abraço!
ramsés a 18 de Junho de 2013 às 23:35

Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
11
14

16
19


30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO