28
Ago 13

 

 

*   *

 

Há dias, o governo anunciou o aumento de 1,1 por cento do PIB no último trimestre. A coisa indiciava que tudo se estava a compôr...

No entanto, não existe exercício de matemática que consiga apagar uma evidência: o aumento contínuo do défice e da dívida - isto apesar do PS, do PSD e do CDS, contando com a cobertura de Cavaco Silva, terem sempre dito ao povo que o programa de resgate que tinham acordado com o FMI, o BCE e o extinto FEEF, teria como objectivo reduzir quer um, quer a outra.

Pois bem, dado que a dívida atingiu os 131,4 por cento do PIB, de novo se comprova, preto no branco, que a dívida é absolutamente IMPAGÁVEL. Trata-se de pura matemática!

Mesmo que a economia estivesse a crescer, como anunciou o governo, 1,1 por cento, qualquer criança do ensino primário compreende que, pagando juros superiores a 6 por cento, essa dívida nunca poderá… matemáticamente… diminuir. E é precisamente isso que… matemáticamente… a torna IMPAGÁVEL! A economia teria de gerar um crescimento, no mínimo – e uma vez mais, matemáticamente – idêntico aos juros que são cobrados!


Duvido fortemente que isto venha a ser visto e discutido nas "universidades de Verão" do PSD, do PS e do BE, ou sequer ali para os lados do Largo do Caldas, em Lisboa.


Estes "matemáticos" de pacotilha tem de ser derrubados!


publicado por flordocardo às 02:09

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.


Agosto 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
15
16
17

19
22
23

25
27
29
31


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO