08
Fev 10

 

@

E se me dissesses o que realmente vai dentro de ti?
E se, serenamente, tal fizesses defronte de mim como quem fala consigo próprio? Com a mesma precisão serena, tensa e húmida, de quem fala consigo frente ao espelho, ou na cama, no escuro da noite?
E se, depois disso, disséssemos um ao outro que os sonhos nunca morrem? Ou então que só morrem verdadeiramente quando sentimos já nada de nós ter a dar aos outros?
Eu penso que isso seria útil, seria bom, seria digno de nós.
Até porque eu tenho-te sempre presente e nunca esqueço o lugar onde tu possas estar a cada instante. E sei que há um lugar, inapagável, onde estás dentro de mim.

 

publicado por flordocardo às 15:03

Profundas, as palavras. Podes sempre mandar... o mail!
Abraço.
ónix a 10 de Fevereiro de 2010 às 22:22

Pois posso, mas...

Abraço!
flordocardo a 11 de Fevereiro de 2010 às 22:28

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO