09
Fev 10

 

Este poema já tem um tempo, mas este é o tempo exacto de o dar a vós. 

 

*  *

 

Nada me digam que dizer eu possa

 
- entre caminhos   uivos   prantos
liberdades mal contadas
inóspitos vazios
de sangue mal lavado
 
Nem me agarrem
Simplesmente não me falem
Deixem meu cão lamber-me as feridas
 
Nada me façam que fazer ele possa 
 
(Cruz-Quebrada, 28.11..2009)

 

 

publicado por flordocardo às 23:46

Gostei...mas acho que deves fazer como um dia disse Alexandre O'Neill ...

CÃO

Cão passageiro, cão estrito,

cão rasteiro cor de luva amarela,

apara-lápis, fraldiqueiro,

cão liquefeito, cão estafado,

cão de gravata pendente,

cão de orelhas engomadas,

de remexido rabo ausente,

cão ululante, cão coruscante,

cão magro, tétrico, maldito,

a desfazer-se num ganido,

a refazer-se num latido,

cão disparado: cão aqui,

cão além, e sempre cão.

Cão marrado, preso a um fio de cheiro,

cão a esburgar o osso

essencial do dia a dia,

cão estouvado de alegria,

cão formal da poesia,
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Gostei...mas acho que deves fazer como um dia disse Alexandre O'Neill ... <BR><BR>CÃO <BR><BR>Cão passageiro, cão estrito, <BR><BR>cão rasteiro cor de luva amarela, <BR><BR>apara-lápis, fraldiqueiro, <BR><BR>cão liquefeito, cão estafado, <BR><BR>cão de gravata pendente, <BR><BR>cão de orelhas engomadas, <BR><BR>de remexido rabo ausente, <BR><BR>cão ululante, cão coruscante, <BR><BR>cão magro, tétrico, maldito, <BR><BR>a desfazer-se num ganido, <BR><BR>a refazer-se num latido, <BR><BR>cão disparado: cão aqui, <BR><BR>cão além, e sempre cão. <BR><BR>Cão marrado, preso a um fio de cheiro, <BR><BR>cão a esburgar o osso <BR><BR>essencial do dia a dia, <BR><BR>cão estouvado de alegria, <BR><BR>cão formal da poesia, <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>cão-soneto</A> de ão-ão bem martelado, <BR><BR>cão moído de pancada <BR><BR>e condoído do dono, <BR><BR>cão: esfera do sono, <BR><BR>cão de pura invenção, cão pré-fabricado, <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>cão-espelho</A> , cão-cinzeiro , cão-botija , <BR><BR>cão de olhos que afligem, <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>cão-problema</A> ... <BR><BR>Sai depressa, ó cão, deste poema! <BR><BR><BR><BR><BR>Alexandre O'Neill <BR>Poesias Completas. 1951-1986 <BR>Lisboa, INCM, 1990 (3ª ed.) <BR><BR><BR>Porto Santo.
Porto santo a 12 de Fevereiro de 2010 às 00:43

Poça!, vê lá os teus ERRORs!!!
E, já agora, obrigado por teres correspondido ao apelo (meio desesperado) que te fiz!

E essas fotos novas? Está de chuva?
Abraço!
flordocardo a 12 de Fevereiro de 2010 às 15:08

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO