28
Fev 10

 

 

 

O Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP), acaba de tornar públicos alguns dados sobre a emigração. Assim, cerca de 20 mil portugueses desempregados emigraram no ano passado - um aumento de 31 por cento relativamente a 2008. Estes números, todavia, estarão aquém da realidade…
Com efeito, em declarações ao semanário «Expresso», Jorge Malheiros, do Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa, afirma não ser possível saber quantos portugueses emigraram «porque não existe um mecanismo de contabilização das saídas»… Por outro lado, os números dos IEFP só contabilizam quem estava inscrito nos centros de emprego e comunicou ir partir (muitos outros não o terão feito, como é evidente)…
A emigração para a Suíça aumentou 56 por cento nos últimos oito anos; o número de portugueses que emigrou para Espanha duplicou entre 2005 e 2009; e no primeiro semestre do ano passado 7600 portugueses inscreveram-se no sistema de Segurança Social do Reino Unido.
Rui Pena Pires, do Observatório da Emigração, revela também ao semanário «Expresso» que «a emigração tem vindo a crescer muito nos últimos anos e está agora próxima dos níveis registados nos anos 60».
Mas é ainda significativo que 40 por cento daqueles que nos centros de emprego manifestaram a intenção de ir trabalhar para o estrangeiro disponham de um curso superior. O que significa que cada vez “exportamos” mais mão-de-obra qualificada, contrariamente ao que sucedeu nos referidos anos sessenta…
Estes dados revelam bem o estado actual do chamado «mercado de trabalho» e a urgência em criar uma economia que esteja nos antípodas daquela que temos. Na situação actual, parece não haver futuro.
E para os partidos do poder parece que isto, o não se vislumbrar futuro, tem menos importância do que a defesa da «liberdade de expressão» - esse tema agora tão em voga pela boca de gente tão “democrática” como os Monizes, os Saraivas e os Sócrates deste país.
Emigrar ou lutar, eis a questão…
Mas eu acho que o futuro está na luta. É que eu quero um Portugal de onde não precisemos de emigrar para termos futuro!
publicado por flordocardo às 23:19

Concordo plenamente quando dizes que o futuro está na luta. Contudo também percebo a outra parte que deixa de lutar e que parte, infelizmente para muitos é a única saída.

beijinhos***
Só Avulso a 1 de Março de 2010 às 00:03

Eu também percebo, cara ónix. Estou quase como o outro... «Se tivesse 20 anos até se calhar emigrava»... O problema é mesmo a ausência de perspectivas. É preciso criá-las!
Bjões!
flordocardo a 1 de Março de 2010 às 01:15

Fevereiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO